Área exclusiva para Membros

SARCOPENIA

A sarcopenia é definida como uma combinação de baixa massa muscular com baixa função muscular. O termo foi usado pela primeira vez para designar a perda de massa muscular e desempenho associado ao envelhecimento. Agora, causas reconhecidas de sarcopenia também incluem doenças crônicas, um estilo de vida fisicamente inativo, perda de mobilidade e desnutrição.

Características

A sarcopenia deve ser diferenciada da caquexia, caracterizada não apenas pela baixa massa muscular, mas também pela perda de peso e anorexia. A sarcopenia resulta de mecanismos fisiopatológicos complexos e interdependentes que incluem envelhecimento, inatividade física, comprometimento neuromuscular, resistência ao anabolismo pós-prandial, resistência à insulina, lipotoxicidade, fatores endócrinos, estresse oxidativo, disfunção mitocondrial e inflamação.

A prevalência de sarcopenia varia de 3% a 24%, dependendo dos critérios de diagnóstico utilizados e aumenta com a idade. Entre os pacientes com artrite reumatóide, 20% a 30% apresentam sarcopenia, que se correlaciona com a gravidade da doença.

Consequências

A sarcopenia cobra um alto custo de comprometimento funcional, distúrbios metabólicos, morbidade, mortalidade e custos com saúde. Assim, as consequências da sarcopenia incluem incapacidade, comprometimento da qualidade de vida, quedas, osteoporose, dislipidemia, aumento do risco cardiovascular, síndrome metabólica e imunossupressão. Os efeitos adversos da sarcopenia são particularmente grandes em pacientes com uma massa gorda alta, uma condição conhecida como obesidade sarcopênica.

Diagnóstico

O diagnóstico de sarcopenia baseia-se em medidas de massa muscular e em testes funcionais que avaliam a força muscular ou o desempenho físico (caminhada, equilíbrio). Nenhum biomarcador específico foi identificado até o momento.

Tratamento

O manejo da sarcopenia requer uma abordagem multimodal combinando uma ingestão suficiente de proteínas e ácidos graxos de alta qualidade, exercício físico e medicamentos anti-inflamatórios. Moduladores seletivos de receptores de andrógenos e anticorpos anti-miostatina estão sendo avaliados como potenciais estimuladores do anabolismo muscular.